Snooker - Burger - Bar

Petiscos - Refeições - Eventos

Líder em UTFPR

Líder em aprovação na Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Curta nossa página no facebook

Suplementos Alimentares

ADEREÇOS - FIGURINOS - MAQUIAGEM

As fantasias que os professores usam nos eventos culturais e aulões você encontra aqui!

A ESCOLHA DE QUEM PENSA

O Curso que mais cresce em Curitiba

Culinária Árabe

Shawarma do Bába

Super II - 2014 - Gabaritos

Aulas 1 e 2
9. (Ufmg 94) A Companhia de Jesus foi instrumento fundamental para a evangelização das colônias americanas. a) CITE duas estratégias usadas pela Companhia de Jesus para a difusão da fé católica. b) IDENTIFIQUE os objetivos da Companhia de Jesus no Novo Mundo. a) A evangelização e a catequese. b) Os jesuítas pretendiam criar uma teocracia na América Latina e monopolizar o controle dos indígenas. 10. (Unicamp) Observe a figura abaixo de Pedro Berruguete, do final do século XV, retratando um auto-de-fé. Disponível no material do aluno Fonte: Francisco Bethencourt, História das Inquisições, Lisboa, Círculo de Leitores, 1994. a) Identifique, na imagem, os personagens que participam de uma cerimônia pública da Inquisição. b) Explique por que as ações da Inquisição se davam por meio de cerimônias públicas. c) Caracterize a atuação da Inquisição no Brasil colonial. a) Na figura, podemos identificar os membros da hierarquia eclesiástica, elementos do poder secular (especialmente os soldados) e os condenados. b) Entre outras razões, a Inquisição executava suas ações em cerimônias públicas a fim de, por meio da intimidação, reafirmar a estrutura de poder justificada pela Igreja. c) Ainda que a Companhia de Jesus tenha encarnado com fervor a Contra-Reforma e que os jesuítas tenham tido presença marcante na colônia, a Inquisição nunca instalou um tribunal em terras brasileiras. Limitou-se a enviar de Portugal, em apenas três ocasiões, por solicitação dos jesuítas, Visitadores do Santo Ofício, para detectar a presença de falsos cristãos-novos, “seguidores de Lutero” e praticantes de heresias várias, como a bigamia e a sodomia. Houve prisões e seqüestro de bens dos acusados, que foram enviados ao tribunal de Lisboa para julgamento e aplicação de penas. 11. (PUC-RJ) O trabalho escravo indígena e do negro africano desempenhou papel fundamental na colonização da América Portuguesa. Considerando-se que, nos primórdios da colonização, o recurso à escravização dos “negros da terra” – isto é, dos indígenas – foi uma prática recorrente inclusive nas áreas de plantio da cana-de-açúcar, cite uma razão que tenha contribuído para a progressiva substituição dos escravos indígenas por escravos de origem africana nessas áreas. Podemos mencionar, entre outras razões, o rápido decréscimo da população indígena em virtude das guerras e das mortes causadas pelas doenças trazidas pelos europeus; a facilidade que os índios tinham de fugir, porque conheciam bem as matas; os lucros proporcionados pelo tráfico negreiro tanto aos comerciantes como à Coroa Portuguesa. 12. (Unicamp) Como muitos indivíduos da Europa seiscentista, tanto católicos como protestantes, padre Antônio Vieira acreditava firmemente que os livros proféticos do Antigo Testamento podiam ser, em grande parte, interpretados em termos do presente real e do futuro imediato. Assim como vários de seus contemporâneos puritanos ingleses, padre Antônio Vieira concentrou-se mais no Antigo Testamento do que no Novo Testamento. (Adaptado de C. R. Boxer, O Império Marítimo Português. 1415-1825. Lisboa: Eds. 70, s/d, p. 355). a) A partir do texto, indique um uso da leitura do Antigo Testamento entre os séculos XV-XVII. b) Nomeie quatro processos históricos relacionados a conflitos religiosos ocorridos nos séculos XVI e XVII na Europa e na América. a) O Antigo Testamento se faz sentir, por exemplo: — na concepção calvinista de valorização do trabalho a partir das questões colocadas no Gênesis; — na posição calvinista de não condenar a usura e o acúmulo de riquezas; — na arte de Michelângelo, que recupera personagens e fatos do Antigo Testamento na escultura (David e Moisés) e na pintura (na Capela Sixtina); — na reflexão política de Thomas Hobbes a partir da metáfora bíblica do Leviatã; — na argumentação do próprio Padre Vieira em torno da escravidão, identificando os negros como filhos de Adão e Eva. b) Entre os processos históricos, o candidato poderia mencionar: — os conflitos pela afirmação do luteranismo nos principados alemães; — os conflitos em nome da consolidação do anglicanismo na Inglaterra; — os conflitos entre jesuítas e colonizadores por causa da submissão dos índios na América; — o confronto entre huguenotes e católicos na França; — a inquisição organizada pela Reforma Católica; — a Revolução Puritana, que envolveu aspectos religiosos. 13. Ainda é possível encontrar no Brasil núcleos remanescentes de quilombos, mas é difícil resgatar sua história, pois se acredita que existia entre os quilombolas um “código de silêncio”, medida necessária para preservar a segurança dos escravos fugidos. (...) quase nada se consegue saber a respeito das suas origens, e as poucas notícias que se obtêm não são devidamente confirmadas, sempre envoltas em fantasias e lendas, que não se sabe até onde correspondem à realidade.” (Aécio Villar de Aquino. Quilombos e remanescentes de quilombos na Paraíba. In: MOURA, Clóvis (ORG). Os quilombos na dinâmica social do Brasil. Maceió: EDUFAL, 2001. p.259 e 260) Sobre o tema central exposto, produza um texto de aproximadamente 10 linhas argumentando as razões de tal fato. O código de silêncio estabelecido entre os negros quilombolas visava garantir a segurança dos demais. Por outro lado, este silêncio não deixou fontes históricas suficientes para reconstituir a história dessas comunidades. Vale ressaltar também que não havia por parte dos senhores de terras divulgar a existência de comunidades quilombolas que seriam vistas como incentivo para outros escravos se rebelarem. Essa necessidade de afugentar os escravos também explica a repercussão da destruição do quilombo de Palmares, provando que a audácia dos escravos foi punida pela ação dos bandeirantes comandados por Domingos Jorge Velho. 14. (Unicamp) Um dos maiores problemas nos estudos históricos no Brasil acerca da escravidão é seu relativo desconhecimento da história e da cultura africanas. Aí, a história do Congo tem muitas lições a dar, quer para os interessados no estudo da África, quer para os estudiosos da escravidão e da cultura negra na diáspora colonial. Afinal, a região do Congo-Angola foi daquelas que mais forneceram africanos para o Brasil, especialmente para o Sudeste, posição assumida no século XVII e consolidada na virada do século XVIII para o XIX. (Adaptado de Ronaldo Vainfas e Marina de Mello e Sousa, “Catolização e poder no tempo do tráfico: o reino do Congo da conversão coroada ao movimento Antoniano, séculos XV-XVIII”, Tempo. n. 6, 1998, p. 95-6). a) O que foi a diáspora colonial citada no texto acima? b) Identifique duas influências africanas no Brasil atual. c) Nomeie e explique, no Brasil atual, uma decorrência da prática da escravidão negra. a) A diáspora colonial — ou diáspora africana, como também é conhecida — foi o processo de dispersão de milhões de africanos negros, transferidos de suas regiões de origem para as colônias da América, por meio do tráfico negreiro. b) Entre diversas influências da África negra no Brasil atual, destacam-se as de caráter religioso — particularmente a prática do candomblé — e a culinária, com muitas comidas originárias da África sub-saariana. c) A mais evidente decorrência da escravidão africana é a desvalorização da população negra e mestiça. Realizada de maneira sutil e não oficial — e por isso mesmo difícil de ser combatida — tal desvalorização fez com que os descendentes dos escravos negros fossem relegados a segundo plano, em termos econômicos, sociais, políticos e culturais. 15. (Unicamp) O escravo no Brasil é geralmente representado como dócil, dominado pela força e submisso ao senhor. Porém, muitos historiadores mostram a importância da resistência dos escravos aos senhores e o medo que os senhores sentiam diante dos quilombos, insurreições, revoltas, atentados e fugas de escravos. a) Descreva o que eram os quilombos. b) Por que a metrópole portuguesa e os senhores combateram os quilombos, as revoltas, os atentados e as fugas de escravos no período colonial brasileiro? a) Eram locais em que se reuniam os escravos fugitivos. b) Porque eram uma ameaça à estrutura de produção baseada na mão-de-obra escrava. 16. Explique como a pecuária poderia servir como aparadora de conflitos dentro da estrutura sócio-econômica do açúcar? Na sociedade colonial do açúcar apenas o filho mais velho herdava a propriedade rural. Dessa forma, a pecuária era uma alternativa para os filhos mais jovens. 17. Contextualize a produção da obra Casa Grande & Senzala de Gilberto Freyre e faça uma análise sobre a democracia racial defendida na obra. Gylberto Freyre escreveu Casa Grande e Senzala no início dos anos 30 em um momento político em que se discutia a formação genética como determinantes do comportamento histórico dos povos. Contrariando as idéias de “pureza racial”, Freyre defendeu a mistura étnica brasileira como distintivo de nossa afetividade, pluralidade e tolerância. 18. (UFPR) "O engenho de açúcar era uma verdadeira empresa capitalista, mas era ao mesmo tempo uma comunidade patriarcal que, para suas necessidades mais vitais, vivia em regime de economia fechada." (MAURO, Frédéric. HISTÓRIA DO BRASIL. São Paulo, DIFEL, 1974.) A lavoura canavieira desempenhou papel fundamental na economia do Brasil colonial, exercendo forte influência nas condições de vida e na organização social. Quais os componentes que caracterizam a sociedade colonial brasileira durante o predomínio da economia canavieira? Sociedade rural, patriarcal, elitizada e aristocrática. 19. Um principio básico de exclusão distinguia determinadas categorias sociias, pelo menos até uma carta-lei de 1773. Era o princípio de pureza de sangue. Cite um exemplo de grupo social excluído por esse critério e que proibições estavam submetidos: Impuros eram os cristão novos, os negros,mesmo quando livres, os índios em certa medida e as várias espécies de mestiços. Eles não podiam ocupar cargos de governo, receber títulos de nobreza, participar de irmandades de prestígio, etc. A carta-lei de 1773 acabou com a distinção entre cristãos antigos e novos, o que não quer dizer que daí para a frente o preconceito tenha se extinguido. 20. Sobre as atividades desempenhadas durante o Brasil Colonial havia uma hierarquia entre elas. Comente sobre a atividade mais valorizada e escolha uma atividade de homem livre menos valorizada: A de maior prestígio, sobretudo nos primeiros tempos, era não propriamente uma atividade,mas a condição de senhor de engenho. O comércio era considerado uma profissão menos digna e,em teoria, os homens de negócios estavam excluídos da s Câmaras e das honrarias. O fato de que muitos deles fossem cristão-novos, ou seja, de ascendência judaica, acrescentava outro elemento de discriminação. Os artesão também eram depreciados, pois considerava-se o trabalho manual uma atividade inferior. 9. (Fuvest) "Então, senhor Barão, ganhei ou não ganhei a partida?" perguntou no próprio 13 de maio a Princesa Isabel ao seu ministro Cotegipe, que lhe respondeu: "Ganhou a partida, mas perdeu o trono". Explique esse diálogo e estabeleça a relação entre os fatos nele implícitos. O diálogo demonstra os esforços palacianos em promover a abolição e evidencia a importância da questão escravista na sustentação do Império. A abolição fez com que um grupo de fazendeiros ao aderir ao Republicanismo, acelerassem a queda da monarquia no Brasil. 10. (Fuvest) Sobre o fim da escravidão no Brasil, diferencie a ação do Estado da ação dos escravos e dos abolicionistas. O Estado adotava medidas paliativas; os escravos fugiam sempre que podiam; e os abolicionistas faziam pressão nos centros urbanos pela abolição. 11. . (Unesp) "Observada a abolição de uma perspectiva ampla, comprova-se que a mesma constituiu uma medida de caráter mais político que econômico." (Celso Furtado - FORMAÇÃO ECONÔMICA DO BRASIL). Interprete o texto acima, começando pela análise dos interesses divergentes escravista/antiescravista. Os escravistas eram membros de uma elite conservadora e os abolicionistas faziam parte de grupos defensores de uma evolução dentro da ordem. Estes fatos ocorrem às vésperas da Proclamação da República e são causados pela pressão dos militantes, dos abolicionistas e até ao fato do Brasil ser uma das últimas nações a manter a escravidão. 12. Os federalistas tinham objetivos políticos definidos Justifique. Não. As tendências eram as mais variadas. Desde as republicanas de Custódio de Melo até as separatistas de Gumercindo Saraiva. 13. (Unicamp) "O Brasil não tem povo, tem público." (Lima Barreto) Esta frase sintetiza ironicamente, para o autor, a relação entre o Estado republicano e a sociedade brasileira. O que Lima Barreto quis dizer com essa afirmação? A população brasileira "assistiu" ao nascimento da república, não tendo participação ativa. 14. O que estabeleceu o Convênio de Taubaté Ficaram definidas as bases para a valorização do café: o governo compraria os excedentes de produção para manter os preços. 15. Qual o papel do Senador Pinheiro Machado junto a Hermes da Fonseca Foi o grande articulador da vitória de Hermes sobre Rui Barbosa e, posteriormente, contrário a algumas intervenções (salvações) feitas em Estados, como o Ceará da família Aciolly. 16. O que foi a Campanha Civilista Foi a campanha eleitoral derrotada de Rui Barbosa (civil) contra o Marechal Hermes da Fonseca para a Presidência. 17. (Fuvest) "Vitoriosa a revolução, abre-se uma espécie de vazio de poder por força do colapso político da burguesia do café e da incapacidade das demais frações de classe para assumi-lo, em caráter exclusivo. O Estado de compromisso é a resposta para esta situação. Embora os limites da ação do Estado sejam ampliados para além da consciência e das intenções de seus agentes, sob o impacto da crise econômica, o novo governo representa mais uma transação no interior das classes dominantes, tão bem expressa na intocabilidade sagrada das relações sociais no campo". (Boris Fausto, A REVOLUÇÃO DE 1930: HISTORIOGRAFIA E HISTÓRIA) a) Explicite o que o autor apresenta como "Estado de compromisso". b) Qual a relação entre "O Estado de compromisso" e a "intocabilidade sagrada das relações sociais no campo"? a) "Compromisso" entre a classe dominante, agregando setores sociais e econômicos e o proletariado urbano em torno das propostas populistas de Getúlio Vargas, para a manutenção dos 'status quo' vigente. b) O "Estado de compromisso" não abrange o homem do campo no que concerne aos direitos trabalhistas. 18. (Unesp) "A fixação do ano de 1930 como um primeiro marco divisor da História do Brasil contemporâneo tem a artificialidade implícita em qualquer periodização, mas se justifica por razões que se situam além da história política ou da simples tradição." Sintetize algumas razões dessa periodização historiográfica. Foi o fim das velhas oligarquias, fim do café com leite, início da Era Vargas e com ele uma série de mudanças como o sistema eleitoral, partidos e industrialização, sindicatos, etc. 19. (Fuvest) O sentimento regionalista foi um dos fatores na luta pelo poder na Revolução de 1930. Como? O descontentamento de algumas oligarquias estaduais com a hegemonia das oligarquias paulista e mineira, expresso na participação ou apoio à Aliança Liberal, pode ser mencionado como manifestação do sentimento regionalista na luta pelo poder na Revolução de 1930. Podem ser mencionados ainda a ruptura na política do café-com-leite e o assassinato de João Pessoa na Parnaíba por rivalidades locais, utilizado por radicais que acusavam São Paulo de retaliação por terem denunciado fraudes eleitorais. 20. (Fuvest) "Os benefícios que conquistastes devem ser ampliados aos operários rurais, aos que, insulados nos sertões, vivem distantes das vantagens da civilização. Mesmo porque, se não o fizermos corremos o risco de assistir ao êxodo dos campos e superpovoamento das cidades - desequilíbrio de conseqüências imprevisíveis, capaz de enfraquecer ou anular os efeitos da campanha de valorização integral do homem brasileiro, para dotá-lo de vigor econômico, saúde física e energia produtiva". (Getúlio Vargas, discurso de 1¡. de maio de 1941) a) A quais "benefícios" se refere o Presidente Vargas? b) Posteriormente, quando os "benefícios" foram estendidos aos trabalhadores rurais, essas medidas, além de não impedirem o êxodo, também não eliminaram a miséria. Porque? a) Legislação trabalhista para os trabalhadores urbanos. b) O êxodo rural ocorreu devido a fatores como a atração exercida pela cidade grande. No meio rural os proprietários burlavam as leis trabalhistas o que originou os "bóias-frias", mal remunerados e contando apenas com o trabalho temporário. Aulas 5 e 6 9. (UFPR) No dia 13 de março de 1964 realizou-se no Rio de Janeiro, na Central do Brasil, o comício pelas Reformas de Bases. Analise o contexto político em que se inscreveu esse comício. O comício de João Goulart na Central do Brasil em defesa das Reformas de Base, insere-se no contexto da crise política gerada após o governo JK que colocou em conflito o nacionalismo e o desenvolvimentismo apoiado no capital estrangeiro. As reações populares contra a inflação, o aumento do custo de vida e as distorções sociais em face ao desenvolvimento industrial incrementado por Juscelino Kubitschek, alarmaram os setores conservadores que pregavam o "perigo comunista" e os Estados Unidos que temiam a política enocômica desvinculada dos interesses do capital estrangeiro, culminando com o Golpe militar de 31 de Março de 1964. 10. (Fuvest) "Na memória dos brasileiros, os cinco anos do governo Juscelino são lembrados como um período de otimismo, associado a grandes realizações cujo maior exemplo é a construção de Brasília." (Boris Fausto, HISTÓRIA DO BRASIL, 1994, pág. 429.) a) A que outras realizações se refere o texto? b) Foram elas planejadas? Comente. a) Implantação da indústria automobilística, telefonia e bens de consumo. b) Estavam contidas no Plano de Metas. 11. (Unicamp 91) No final da década de 60, um representante do tropicalismo, Tom Zé, escreveu os seguintes versos: "Retocai o céu de anil, bandeirolas no cordão, grande festa em toda a nação. Despertai com orações, o avanço industrial vem trazer nossa redenção." (trecho da canção "PARQUE INDUSTRIAL") Nesses versos o compositor faz uma referência irônica à industrialização como principal objetivo dos programas de desenvolvimento nacional criados, principalmente durante o governo de Juscelino Kubitschek. Analise o período, apresentando as suas principais características. Foi o desenvolvimentismo do Plano de Metas (50 anos em 5) a industrialização a partir do capital estrangeiro, endividamento externo, corrupção e inflação. 12. (Unesp) O Presidente João Goulart, apesar dos entraves parlamentares, instrumentou projeto nacional-reformista visando aglutinar determinadas forças. Relacione os setores que as "Reformas de Base" abrangiam e indique a camada social que acabou dando apoio ao projeto. Setor bancário financeiro do país, setor administrativo do governo e os trabalhadores rurais. Os trabalhadores, estudantes de esquerda e alguns intelectuais. 13. (UFPR) De 1961 a 1963, vigorou no Brasil o sistema parlamentar. Por que isso ocorreu? Porque os militares temiam a posse de Goulart, com amplos poderes dentro do sistema presidencialista. Como Jango era considerado comunista e continuador do Getulismo, os militares não queriam que ele assumisse. O impasse foi resolvido pela Emenda Parlamentarista, com a posse do Vice porém, com poderes limitados. 14. (Unicamp) "Os artistas que participaram do tropicalismo queriam entender o país em que viviam e comunicar-se com o povo, mas de um modo diferente daquele proposto pelo CPC (Centro Popular de Cultura) da UNE (União Nacional dos Estudantes), no início dos anos 60." (Adaptado de Marcus Venicio Ribeiro, Chico Alencar e Claudius Ceccon, BRASIL VIVO, 1991). a) O que foi o Tropicalismo? b) Quais os argumentos utilizados pela UNE para afirmar que os tropicalistas eram alienados? a) Movimento estético artístico surgido no contexto do regime autoritário. b) Entre os tropicalistas, supostamente, não havia um "engajamento" político-partidário. TEXTO PARA AS QUESTÕES 15 e 16: (Unesp) "Logo após 1964, a comunidade teatral conhecera um período de inesperada euforia, imaginando que poderia desempenhar uma importante função como centro de oposição ao regime. Tiradentes passou a ser um símbolo mal visto pelo governo e uma simples canção como Carcará, cantada por Maria Bethânia com a energia de uma justiceira e implacável ave de rapina - 'pega, mata e come' - assumia ares de inflamado hino revolucionário. Mas o que 1964 permitira, talvez como necessária e, no fundo, inofensiva válvula de escape, 1968 acabara por sufocar." (Décio de Almeida Prado, HISTÓRIA DA CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA) 15) Relacione as duas datas - 1964 e 1968 - aos eventos políticos, cujo impacto sobre a cultura é descrito no texto. Golpe militar, implantação do regime autoritário (1964) e o ano do AI5 (1968). 16) Explique a afirmação "o que 1964 permitira (...) 1968 acabara por sufocar". 1964 o golpe foi dado após o anúncio das reformas esperadas pelo país (João Goulart) e 1968 o acirramento da ditadura. O TEXTO A SEGUIR REFERE-SE AS QUESTÕES 17 e 18: (UERJ) O grande personagem da segunda metade dos anos oitenta foi o trabalhador "sem terra", protagonista de uma forte organização política. Desde 1984, o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra foi se disseminando por várias regiões brasileiras, e recolocando a questão da função social da propriedade fundiária e da necessária efetivação de uma reforma agrária. (SANTOS, J. V. T. Efeitos sociais da modernização da agricultura. In: SZMRECSÁNYI, T. & SUZIGAN, W. História Econômica do Brasil Contemporâneo. São Paulo: EDUSP, 2002.) Durante os governos militares (1964 - 1980), consolidou-se no Brasil um padrão de desenvolvimento que estabeleceu novas bases para as relações entre as atividades industriais e as agrícolas, o que se refletiu na vida dos trabalhadores rurais. 17) Apresente uma característica do processo de integração estabelecido entre a agricultura e a indústria no país neste período. Podem ser apontados como caracterísiticas do processo de integração entre agricultura e indústria no Brasil por iniciativa dos governos militares, crescimento significativo de um setor industrial voltado para o desenvolvimento de máquinas e outros insumos agrícolas e a manutenção das regiões Norte e Nordeste como reservatório de mão-de-obra migrante para o setor urbano e reduto de uma agricultura tradicional não-industrial. 18) Estabeleça a relação existente entre o modelo de desenvolvimento agrário adotado pelos governos militares e a crescente relevância da figura social do trabalhador sem terra. Apesar de caracterizar-se pela modernização em relação às estruturas anteriores, o modelo de desenvolvimento agrário implementado pelos governos militares no Brasil, promoveu a exclusão dos posseiros com poucos recursos e dos trabalhadores rurais desse processo, na medida em que dificultou possibilidade de redistribuição da propriedade fundiária e criou condições para a dispensa de mão-de-obra para dos assalariados temporários, os bóias-frias. Diante desse quadro, esses trabalhadores rurais excluídos passaram a integrar movimentos organizados de luta pela terra como o MST - Movimento dos Trabalhadores Sem Terra. O TEXTO A SEGUIR REFERE-SE AS QUESTÕES 19 e 20: (Fuvest) "Os militares latino-americanos já provaram ser a maior força coesiva de que se dispõe para assegurar a ordem pública e apoiar governos resolutos na tentativa de manter a segurança interna. As Forças Armadas da América Latina, atuando em conjunto com a polícia e outras forças de segurança, ajudaram a pôr cobro a desordens e greves, a conter ou eliminar terroristas e guerrilhas e desencorajar todos os que se sentiam tentados a apelar para a violência a fim de derrubar o governo." Relatório do Comitê de Negócios Estrangeiros do Congresso dos Estados Unidos, 1967. Tendo por base as afirmações do Relatório, responda: 19) A que situação histórica se refere o texto? Dê um exemplo. O texto faz referência ao período de implantação das ditaduras anticomunistas na América Latina nas décadas de 1960 e 1970, no contexto da Guerra Fria, com apoio dos Estados Unidos, sobretudo após a Revolução Cubana (1959). Nesse período os Estados Unidos propagavam os militares latino-americanos a "Doutrina da Segurança Nacional" no combate aos movimentos de inspiração socialista. 20) Qual o papel atribuído aos militares pelo Comitê? Explique sua resposta. As Forças Armadas tinham a função de combater a subversão política e manter a ordem e instituir ou apoiar governos contrários ao comunismo.

Comentário da Prova da UFPR

"A MatadeirA" de Jorge Furtado



Canudos foi uma pequena aldeia no nordeste do Brasil, fundada pelo líder messiânico Antônio Conselheiro e massacrada por um poderoso exército até a morte do último de seus 30 mil habitantes, em 5 de outubro de 1897. O filme conta o massacre de Canudos a partir de um canhão inglês, apelidado pelos sertanejos de a matadeira, que foi transportado por vinte juntas de boi através do sertão para disparar um único tiro.



Ambiente por Inteiro: Mentiras modernas

Ambiente por Inteiro: Mentiras modernas: A internet não inventou o texto mentiroso, só estimulou sua divulgação. Especialmente na área ambiental, que envolve muita paixão nos forma...