Por que escolher as Federais?

Quando se inicia um ano de pré-vestibular, seja aluno de terceirão ou de extensivo, tanto faz, a dúvida começa a bater de imediato: Por que escolher uma Universidade Pública (Federal ou Estadual)? Como estamos em Curitiba e aqui não há estaduais, a pergunta mais corriqueira faz referência às Federais, em especial a UFPR.
Pois bem... posso começar o relato dando um depoimento pessoal: há 13 anos atrás, um colega meu de profissão, professor de matemática, com um dom muito especial para ensinar, foi contratado por uma instituição de ensino superior particular - logicamente não citarei nomes, nem de pessoas, nem de instituições. Até aí, tudo bem. O problema: ele não havia concluído ainda a graduação! Quando questionou este fato ao coordenador do curso, este disse: "Não tem problema... você sabe dar aula. É o que basta." Convenhamos... se vou para uma instituição superior, espero ter aulas com mestre ou doutores. E não com pessoas que nem graduadas são.
Numa instituição federal isto jamais ocorreria. Uma porque aqueles que lá estão lecionando, prestaram concurso e dentro deste, há uma prova de titulação. Ou seja, quanto mais títulos, cursos e etc, mais capacitado o professor é e portanto estará na instituição. Já em faculdades particulares, vale o QI, ou meritocracias estranhas, como a citada acima.
Tenho um carinho especial pela UFPR, uma vez que fui aluno de lá, graduei-me em História e estarei em breve concluindo uma especialização. Sei do que são capazes os mestres e doutores de lá. Por isso falo com todo o orgulho e me ofendo sim quando falam que a UFPR (ou a UTFPR também) não tem estrutura, que tem greve e assim por diante.
Vamos aos fatos: Estrutura para uma universidade são laboratórios funcionais, bibliotecas, sala de aula, giz e quadro negro. O resto, me perdoem, é purpurina. Não é necessária ampla praça de alimentação, jardins ou outras coisas "estruturais". Greve? São necessárias sim, pois é necessário que o trabalhador delas, professores e funcionários, esteja satisfeito com seus rendimentos. Afinal de contas, que trabalhador produz estando com seu salário defasado? O esclarecimento gera insatisfação e insatisfação gera greves. Quem dera se todas as categorias profissionais tivessem este esclarecimento e reivindicassem seus direitos. Seria o fim do peleguismo, de sindicatos matreiros que só ludibriam seus trabalhadores e fazem as vontades dos patrões.
São opiniões minhas, reitero. E, por conta disso, gostaria que ficassem esclarecidas estas situações e dúvidas de nossos diletos alunos.

Abraços do Julio Cezar

Reações: